quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dia do professor

Cresci ao redor de professoras: minha mãe (e grande parte de suas amigas), minha madrinha, minhas vizinhas, as tias do meu pai. Todas professoras. Como não poderia deixar de ser, desde de pequena alimentei o sonho de ser professora brincando e contando os dias para me tornar uma.
Sempre ouvi conversas e, convivendo com o trabalho de minha mãe, sempre soube que ser professora era muito mais do que dar aula, que sempre havia trabalho para levar pra casa e reuniões de quando em quando para isso e para aquilo. Ou seja, acreditava eu ter mais conhecimento da profissão do que muitos da minha idade, que nunca se preocuparam realmente em pensar no assunto.
Viver do outro lado da educação, conviver lado a lado com professores fora da sala de aula, conversar com minha mãe sobre certas questões, influenciaram principalmente na visão dos meus próprios professores. Talvez inconscientemente, aprendi a vê-los da maneira mais humana possível, sujeitos a erros e a acertos como qualquer pessoa, com compromissos fora do trabalho e tudo mais. Ou seja, aprendi a não criticar por qualquer coisa e a não exigir mais do que é possível, pois os professores não vivem exclusivamente para corrigir provas e outras coisas do dia-a-dia da aula.
Agora, finalmente no Magistério (ou Curso Normal, como queira), na mesma escola em que minha mãe fez, por sinal, vejo que a profissão de professor é ainda mais importante do que eu imaginava. Quer dizer, eu sempre soube de que era importante, mas sentir que futuramente tu serás responsável por ensinar diversas cabecinhas ansiosas (ou não) por aprender, saber dos problemas que se pode ter pela frente, faz com que tu percebas realmente a importância de ser professor.
Bem, poderia acrescentar muitas outras coisas à esse texto, mas correria o risco de fazer um texto longo, cansativo e repetitivo, então vou tentar sintetizar tudo que tenho a dizer sobre essa profissão tão importante. Ser professor exige responsabilidade, dedicação e, especialmente, carinho pela profissão. Ser professor, ser um bom professor, é muito mais complicado do que dar notas, é muito mais que isso. O professor é a profissão mais importante e a base para todas as outras. O que seria de ti, de mim, de nós, do mundo, sem o professor? Não existe sociedade sem o professor. Em oposição à tamanha importância, existe a desvalorização sofrida, tanto economica quanto socialmente (e acredito que a primeira é decorrente da primeira). Mas por que essa desvalorização, esse 'preconceito' ao professor, se a educação é a base para tudo? A educação deveria ser o ponto mais importante de uma sociedade e não o menos conceituado.
Bem, bem, não estou aqui para discutir, e sim para parabenizar. Parabenizar à todos os professores, sejam eles formados ou apenas mestres de nossa vida em algum sentido. Parabenizar aqueles que veem na educação o futuro e que lutam por isso. Parabenizar aqueles que, apesar das dificuldades, seguem em frente, acreditando e fazendo com que os outros acreditem no futuro. Parabenizar aos professores de ontem, de hoje e de amanhã. Não percam a coragem e a fé em si mesmos e nos outros, se o fizerem, o mundo parará. Não desistam, a luta de hoje é o reconhecimento de amanhã! (Acreditemos!) (
Ana Seerig)
Obs:Ana Seerig é minha aluna do 3º ano do Curso Normal está construindo o Projeto Leitura e Releitura.

2 comentários:

Teresinha Bernardete Motter disse...

Obrigada Ana, adorei!!! Que bom ter vocês como editoras do blog.
Espero que mais colegas façam isso.
bjs
Vamos combinar

Erica Ferro disse...

Acrediiiitemos! ;)
O texto ficou ótimo, Ana.
Adorei!
Uma belíssima homenagem, como tu sabes bem fazer!
Beijo.